quarta-feira, 15 de julho de 2015

Câmara de Piracicaba abre mostra sobre Revolução de 1932

O presidente da Câmara de Vereadores, Mateus Erler, durante a abertura da mostra

Formidável revolução, que mostrou ao mundo a capacidade de civismo e de organização da gente bandeirante, afirma o jornalista e escritor Menotti Del Picchia. A declaração consta da apresentação do livro “A Revolução Paulista atravez de um Testemunho do Gabinete do Governador”, um dos itens expostos na mostra “Revolução Paulista de 1932”, aberta no hall do prédio anexo da Câmara de Vereadores de Piracicaba. As visitas seguem até o dia 25.

Del Picchia é muito conhecido pela participação na Semana de Arte Moderna, mas o escritor era também um árduo defensor da presença do Estado de São Paulo na política. Assim como a sua obra, outros 12 livros ilustram o período e estão na exposição, caso de “Vitória ou Derrota”, com a assinatura de Dilermando de Assis, militar de pouco destaque na literatura, mas lembrado, principalmente, por ter assassinado o escritor Euclides da Cunha, após ter sido pego no flagra com a esposa do escritor e envolver-se numa briga com o autor de "Os Sertões".

Também chama a atenção o livro “Pro Brasilia Fiant Eximia – A Psicologia dos que Combateram pela Revolução”, de Haddock Lobo, português radicado no Brasil, que fez a primeira anestesia no país e ocupou a presidência da Câmara na cidade do Rio de Janeiro.

Ao percorrer a exposição, o visitante encontra cartazes de apelo aos jovens paulistas para o espírito patriótico, convocando-os para o movimento em prol da destituição do governo Vargas e que pedia a promulgação de uma nova constituição federal. Entre os dizeres estão “você tem um dever a cumprir, consulte sua consciência”, “sustentae o fogo que a victoria é nossa!” e “paulistas! Glorificae o 9 de Julho”.

Sob curadoria de Fábio Bragança, diretor do Departamento de Documentação e Arquivo da Câmara, a mostra traz ainda um painel fotográfico com os piracicabanos que combateram as tropas do governo federal, de 9 julho a 2 outubro de 1932, na crença de que o estado era o “carro chefe” da nação e contrários à dissolução do Congresso e dos poderes estaduais instituído por Vargas.

Dos 64 rostos estampados no mural, quatro são femininos: Branca de Azevedo, Etelvina Silveira Pedreira, Presciliana Benvinda de Almeida e Mathilde Brasiliense Bessa. Entre os nomes há, ainda, o de Walter Accorsi, Tufi e Jorge Coury, Jacob Diehl Neto, Iscar Antonio Bressan, Benedito Dutra Teixeira e Amando de Vollet Sachs. A estimativa é que dois mil piracicabanos se voluntariaram para a também chamada “Guerra Paulista” ou “contrarrevolução”.

Parte do material exposto no hall foi doado ao acervo da Câmara em 2011. A filha do ex-combatente Joaquim Moreno, Dircéia Moreno Moreira, oficializou a entrega dos objetos ao então presidente da Casa, João Manoel dos Santos (PTB). Moreno, natural de Bauru, morreu em 27 de dezembro de 2010, aos 96 anos, em Piracicaba. São bolsas, quepes, capacetes, flâmulas, utensílios e livros.

Ao todo a exposição traz aproximadamente 50 peças, incluindo algumas medalhas com mensagens alusivas à revolução: “viveram pouco para morrer bem, morreram jovens para viver sempre”, diz a insígnia produzida por ocasião do 30º aniversário do levante.

CONTEXTO – Segundo Bragança, o clima político em 1932, na então capital Rio de Janeiro, era como “um barril de pólvora”. Os paulistas se entregaram ao governo em 2 de outubro, mas apesar da derrota, avalia-se que os objetivos do movimento foram alcançados, já que em 1933 aconteceram eleições, sendo aclamado Armando de Salles Oliveira para o governo paulista.

Na avaliação do presidente da Câmara, vereador Matheus Erler, é de extrema relevância que a Casa de Leis mostre à população as curiosidades sobre a Revolução de 1932, com destaque aos piracicabanos que participaram ativamente. “Sem dúvida, piracicabanos que não conhecem os motivos geradores de tal Revolução, pouco divulgada pela mídia, podem ter acesso ao conteúdo de sua história, por meio dos objetos, durante esses dias de exposição”, destaca Erler, ao lembrar que a Câmara continuará fazendo a exposição a cada ano, incorporando novidades.

SERVIÇO - Exposição “Revolução Constitucionalista de 1932”, até 25 de julho, no hall do prédio anexo da Câmara de Vereadores de Piracicaba (rua do Rosário, 833, Centro). Visitas: de segunda-feira à sexta-feira, das 8h às 17h, exceto feriados. Entrada gratuita. Mais informações: (19) 3403-6612.

Texto:  Rodrigo Alves - MTB 42.583







Nenhum comentário: