segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Dia de Finados


Aos familiares, amigos e simpatizantes da causa epopéica de 1932 : nesta semana de dia de finados, solicitamos uma gentil visita sua ao Cemitério da Saudade em Piracicaba, para homenagem àqueles que tombaram pela Revolução Constitucionalista de São Paulo e deste amado Brasil. O Mausoléu é um dos mais bonitos do Cemitério e de fácil localização, próximo à entrada que dá acesso às suas dependências. Ano passado, diretores do Núcleo MMDC lavaram e limpara o Mausoléu. A iniciativa pode ser repetida por qualquer um como perpetuação destes jovens que deram suas vidas à causa.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Do 2º Aniversário do Núcleo de Correspondência Voluntários Paulistas de Piracicaba – o NCVPP



Dia 22 de outubro de 2013: 2º Aniversário do Núcleo de Correspondência Voluntários Paulistas de Piracicaba – o NCVPP



Caríssimos (as) amigos (as), leitores e companheiros (as)

É com enorme satisfação que comunicamos a comemoração do 2º Aniversário do NCVPP e poderíamos discorrer bastante sobre o tema,  no entanto,  procuraremos sintetizá-lo na sua apresentação:
Expusemos no seu 1º aniversário todo o balanço realizado exposto no link abaixo:


Nesse seu segundo ano de atividades muitas outras obras essenciais aconteceram, tais como, a grandiosa e inesquecível solenidade da entrega da medalha MMDC a 32 personalidades dentro do nosso município contando com a emocionante participação dos nossos dois ex-combatentes de 32; a mostra, visita monitorada e as palestras sobre a Revolução de 32 no Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes e a solenidade do 9 de julho na Câmara de Vereadores dessa cidade, apresentadas nos links abaixo:





Conseguimos, ainda, registrar a marca histórica de 176 postagens com 35.640 visualizações (média de 49,50 visualizações/dia) no período, só perdendo em números reais inerentes ao tema para o blog “Memórias do Ventura” do honorável Coronel PM Mário Fonseca Ventura e para o “Tudo por São Paulo” do companheiro de jornada de trabalho Ricardo Della Rosa que ensejam duas verdadeiras Enciclopédias, porém, o nosso blog, modéstia à parte, em termos da destacada participação da nossa Piracicaba na Guerra Cívica Paulista vem a ser uma mini enciclopédia versando sobre o assunto.
Os índices de todas as matérias postadas para referência de consultas aos leitores estão apresentadas, no link abaixo:


Queremos agradecer pela enorme colaboração à Câmara dos Vereadores, principalmente, na pessoa do seu Presidente Vereador João Manoel dos Santos, ao pessoal do Museu Prudente no nome da sua destacada diretora Maria Antonieta Sachs Mendes – a Tô, ao CPI-9 da Polícia Militar do Estado de São Paulo  notadamente na pessoa colaboradora e participativa em todas nossas solenidades do Major PM Willians de Cerqueira Leite, a Secretaria Municipal de Ação Cultural (SEMAC), aos nossos prezados irmãos dos NCs MARIA HELENA TOLEDO SILVEIRA MELO e JOÃO FRANCISCO DE AGUIAR, ao Salão de Humor de Piracicaba, ao Corpo Docente da Faculdade Anhanguera, enfim, a  todos que de uma forma ou de outra nos auxiliaram em nossa missão.
Registrando, ainda, que nosso blog extrapolou as expectativas sendo visitado até no exterior em países como os Estados Unidos da América, Inglaterra e Chile que é sinal de prestígio.

Queremos agradecer, sobretudo, ao nosso Comandante, amigo e Presidente da Sociedade dos Veteranos de 32-MMDC Sr. Cel PM MÁRIO FONSECA VENTURA pela confiança e investimento em nós depositados nessa empreitada e ao meu irmão em armas e, apesar de muito jovem, meu mestre nessa penosa,  mas nobre missão da propagação e perpetuação da Epopéia de 32, Professor JEFFERSON BIAJONE em que nos comunicávamos pelo menos uma vez por semana para traçarmos as novas rotas de ações dos NCs do sistema ENC que ele como visionário tão bem criou e deu certo em todos os sentidos e continuará, com certeza, comandando com disciplina e bom senso o Batalhão Constitucionalista composto pelos valorosos Pelotões da Sociedade MMDC.

Encerrando, é com pesar que anuncio, também, nessa oportunidade a minha demissão da função de Conselheiro do NCVPP por motivos e razões de cunho particular, não obstante sempre estará comigo no corpo e na alma o dever de sempre bem representar essa semente que plantei em solo piracicabano e que agora está mais que nunca arraigada e produzindo excelentes frutos, árvore esta  sendo regada com propriedade e zelo na pessoa do seu atual Presidente o ínclito jornalista e Comunicação Social da Uniodonto EDSON RONTANI JÚNIOR e seus colaboradores que com certeza continuarão dando destaque e mais dinâmica ao Núcleo e muitas outras excelentes novidades e ações virão em breve.
MISSÃO CUMPRIDA!!

Efusivo abraço a TODOS e que DEUS na sua infinita misericórdia continue abençoando a TODOS NÓS.
Egydio João Tisiani



 
NOTA: Aproveito, ainda, a oportunidade para apresentar aos meus seletos amigos (as) e leitores minhas 6 últimas matérias postadas em nosso blog, nos links abaixo:






sábado, 19 de outubro de 2013

DO 1º ANIVERSÁRIO DO NÚCLEO DE CORRESPONDÊNCIA VOLUNTÁRIOS DE PIRACICABA: REALIZAÇÕES



 Caríssimos(as) amigos(as) leitores(as)

Neste 22 de outubro em que nosso Núcleo de Correspondência "Voluntários Paulistas de Piracicaba" comemora orgulhosamente seu primeiro ano de fundação levamos ao conhecimento de todos o balanço em termos das realizações deste Núcleo da Sociedade dos Veteranos de 32-MMDC:

1- Elaboramos um total de 124 (cento e vinte e quatro) matérias pertinentes à Revolução de 1932 dentre as quais 94 (noventa e quatro) foram postadas em nosso blog e outras 30 (trinta) a serem publicadas, semanalmente, até meados de 2013;

2- Havemos registrado até o dia de hoje um total de mais de 15.900 (quinze mil de novecentas) visualizações do nosso blog neste período que corresponde a mais de 43 visualizações/dia de testemunho em que contamos com 24 (vinte e quatro) membros;

3- Foram registradas, nesse período, 22 (vinte e duas) publicações da participação do Núcleo MMDC de Piracicaba nos 3 (três) maiores jornais local em circulação com mais 12 (doze)  publicações entre outros blogs e sites dentre os quais na Revista VEJA e na Globo G1 que poderá ser constatado acessando o link:


4- Realizamos 4 (quatro) palestras no auditório do Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes sendo 2 (duas) no dia 14/06 e 2 (duas) no dia 15/06 deste ano para alunos de 4 (quatro) Escolas Estaduais da rede pública de ensino sobre o tema "A Revolução Constitucionalista de 1932" com enorme repercussão positiva;

5- Visitamos o Museu Prudente de Moraes de Piracicaba por 6 (seis) vezes sendo 2 (duas) das quais destinadas à pesquisas para colher informações através de fotos e dados sobre o Movimento Constitucionalista em Piracicaba;

6- Auxiliamos o Museu Prudente na exposição dos objetos na mostra sobre a Revolução de 32 - "Os Revolucionários" - que teve seu início no dia 14/06 e se estendeu até o dia 21 de julho, algo nunca antes acontecido com um número recorde de visitantes desde a data da sua fundação;

7- Fizemos 1 (uma) visita ao Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba (IHGP) destinado às pesquisas e levantamento de dados;

8- Tivemos 3 (três) reuniões com o Presidente da Câmara Municipal o ilustre Vereador João Manoel dos Santos e sua assessoria para tratativas da nossa participação na solenidade de 9 de julho e convite para a solenidade a ser realizada no dia 27 de outubro;

9- Participamos ativamente na solenidade do Jubileu de Carvalho da Revolução Constitucionalista de 9 de julho em que tivemos a oportunidade de agraciar 14 (catorze) personalidades que vem se destacando em prol do social e colaborando conosco na divulgação da Epopeia de 32 com o Diploma de Honra ao Mérito Capitão João Rodrigues Gonçalves, um dos gloriosos heróis da Revolução Constitucionalista de 32, solenidade esta que contou com a presença de muitos populares, índice nunca dantes alcançado, e temos a expectativa de alcançarmos um número ainda maior no evento do próximo ano;

10- Demos entrevista sobre o tema ao Jornal Beira Rio levado ao ar no dia 09/07 às 12:20 horas com reprise às 19:20 horas com cerca de 8 (oito) minutos de duração sobre "A Revolução e o Papel do Núcleo MMDC em Piracicaba".

11- Concedemos entrevista, também, à TV Câmara local com duração de 3 (três) minutos sobre a participação dos Combatentes Piracicabanos na Revolução de 32 e do objetivo do Núcleo MMDC de Piracicaba levado ao ar em 16/07, bem como aos profícuos jornais "Gazeta de Piracicaba", "A Tribuna Piracicabana" e "JP" (Jornal de Piracicaba);

12- Construímos outros 8 (oito) blogs para os demais Núcleos de Correspondência com algumas publicações em alguns deles com a devida permissão de seus gerenciadores e ajudamos a fundar os eminentes Núcleos de Correspondência de SÃO VICENTE, JAGUARIÚNA e SÃO PEDRO;

13- Conseguimos, neste período, trazer para a nossa Sociedade MMDC 7 (sete) novos sócios;

14- Recebemos, neste espaço de tempo, mais de 350 (trezentos e cinquenta) e-mails de contato com parentes e conhecidos dos ex-combatentes e associações diversas e nos correspondemos enviando mais de 500 (quinhentos) e-mails inerentes;

15- Fomos pessoalmente 2 (duas) vezes à residência de ex-combatente para entrevista;

16- Visitamos por 2 (duas) vezes a ilustre Sra. Judith Meira Barros Sampaio emérita conhecedora dos fatos da Revolução de 32, esposa do ex-Presidente da Sociedade MMDC de Piracicaba o saudoso Sr. Manoel Sampaio Mattos também combatente de 32, irmã do mais jovem combatente a morrer no front da batalha com apenas 17 (dezessete) anos de idade e ora o patrono do nosso Núcleo, que nos concedeu muito material para publicações bem como toda a biografia do seu citado irmão que postamos em nosso blog no link abaixo:


17- Conseguimos reunir e está em nosso poder farto material de arquivo de imagens, Jornais e Documentos da época em que gravamos tudo em CD sobre a Revolução de 32;

18- Realizamos uma solenidade alusiva ao 02 de outubro data esta marco da Cessação das Hostilidades entre as tropas constitucionalistas e governistas no Movimento Constitucionalista de 32 no dia 27/10/2012 das 15 às 17 horas no auditório professora Rovay Benetton do Museu H.P. Prudente de Moraes em Piracicaba e na oportunidade entregamos 6 (seis) Diplomas de Honra ao Mérito General Brazilio Taborda e mais 12 (doze) Diplomas de Honra ao Mérito Combatente Natal Meira Barros à várias personalidades da nossa sociedade com a presença de várias autoridades civis e militares constituídas bem como a participação do Presidente da Sociedade dos Veteranos de 32-MMDC Coronel PM Mario Fonseca Ventura e do Comandante do Exército Constitucionalista Sr. Amado Rúbio.
Mais de 50 convidados compareceram à solenidade.

Para o primeiro semestre do ano vindouro já vamos iniciar contatos com a Presidência da Sociedade e autoridades constituídas de nosso município sobre preparativos da comemoração alusiva ao dia 23 de maio que enseja o Dia da Juventude Constitucionalista em que objetivamos agraciar com a Medalha MMDC da Sociedade MMDC 32 (trinta e duas) personalidades da sociedade piracicabana a serem indicadas.

Muitas outras novidades e conquistas ainda virão.

Efusivo e respeitoso abraço a todos que nos prestigiaram.

Piracicaba, 27 de outubro de 2012.

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

O Divino e o Soldado.



Publicado por: Emmilyne Nicoletti

Um dos valores fundamentais da vida humana é a capacidade para ver, sentir, detectar, perceber e compreender os sinais dos tempos. Na verdade, a vida e o mundo emitem sinais, como que revelando os laços indissolúveis entre o infinito e o finito, entre o sagrado e o profano. E, poucas vezes – como agora, nos tempos ditos globalizados, mas apenas economicamente mundializados – os sinais são tão claros e evidentes: há um chamamento acelerado a um mergulho nas humanidades, a um retorno a princípios que pareceram soterrados. São raízes chamando frutos de volta, o útero que imanta o gerado.
O início da Festa do Divino e as celebrações, ainda que pálidas, do 9 de Julho não podem ser vistos como simples coincidências, ou como apenas mais um longo feriado para se prolongar a festa de consumismo e de ruídos em que mergulharam o povo. A festa existe e é necessária, mas não essa loucura de alucinações, da falta de sentido, do ir-se a lugar algum. Desde os indígenas, tribos de quaisquer partes do mundo – algumas etnias ainda não contaminadas pela chamada civilização ocidental – todos os povos têm as suas festas, as suas celebrações, rituais também de memória que nada mais significam do que a preservação da própria espécie. Pois a espécie se prolonga na História e na Geografia.
O doloroso, em Piracicaba, é ver, saber, sentir, conhecer a extraordinária dimensão cultural, mística, religiosa, cívica de nossas raízes e, ao mesmo tempo, perceber como há equívocos e crueldades terríveis a partir de dirigentes públicos. Heranças, quando existem, são para ser transmitidas. Mas, antes de fazê-lo, é preciso conservá-las, preservá-las. Quantas escolas sabem do Soldado Piracicabano Constitucionalista, da morte de muitos pelas liberdades democráticas, do sangue derramado contra ditaduras? Os versos de Lagreca, quantos os conhecem ou, pelo menos, se detiveram para lê-los na pedra do Monumento ao Soldado?
Neste longo feriado, temos a Festa do Divino e a celebração do 9 de Julho. São dimensões espirituais de Piracicaba que se conjugam, como a dizer e a revelar, insistentemente, que temos motivos mais nossos para reverenciar o que tem sido esquecido até por muitos paulistas.

Claudionor Barbieri e Gabriel Soares: dois jovens do Batalhão Piracicabano mortos no front de Batalha da Revolução de 1932





Placa no Monumento do Soldado Constitucionalista na Praça Bonifácio em homenagem também a Claudionor Barbieri




9 de julho e Lagreca.



Publicado por: Emmilyne Nicoletti
Contei, há uns cinco anos, a pergunta que me fez uma jovem repórter. Entrevistando-me sobre a revolução paulista de 1932, indagou-me: “O senhor também foi combatente?” Pensei estivesse, ela, brincando. Não estava. Tentei, então, mostrar-lhe a impossibilidade de eu ter participado sequer da batalha de Itararé, a que não houve. Pois eu nascera em 1940. Mas ela não se importou com o detalhe, o que é um detalhe? No entanto, como a moça insistisse em ver-me como um combatente de 1932, expliquei-lhe o equívoco que ela cometia, a confusão. Pois soldado, eu o fora da Guerra do Paraguai. E – “voluntário da Pátria” – condecorado não me lembro se por D.Pedro II, se pelo Duque de Caxias. A moça anotou em seu caderninho. Tim-tim por tim-tim. E não era loura.


Isso me provava, em síntese, o quanto falhamos na transmissão de heranças e de valores às novas gerações. Que, talvez, nem saibam mais o porquê do feriado de “9 de Julho”. Confesso que eu próprio me encabulo ao escrever a respeito. Foi um grande feriado, vibrante, ativo e reativo. Depois, deixou de ser. E voltou a ser. Dependendo de outras idas e vindas, talvez retorne a um dia comum. Tão pouco se sabe do “9 de Julho”, que, dele, se pode dizer tratar-se de uma data “que é sem nunca ter sido.” Sendo feriado e caindo numa segunda-feira, o seu significado de que importa? Ora, se nem Tiradentes é levado a sério, por que o seria a revolução constitucionalista de 1932? Aliás, o que é isso mesmo? Afinal de contas, essa tal revolução é de 1932 ou de 1964?

Quando meninos, ouvíamos falar de “escola risonha e franca”, nos versos belos e nostálgicos de Olavo Bilac. E haverá quem me pergunte: Bilac? Ora, que vão “ver (e ouvir) estrelas”.Quanto a ser risonha e franca a escola, disso não me lembro, pois a nossa, de minha geração, foi rígida, exigente, disciplinadora, onde professor era professor, aluno, aluno. Escola que – já encerrado o “getulismo” da ditadura – mantinha vivos princípios que se iam transmitindo, cultora e guardiã de valores espirituais e cívicos. Eis um outro xis da questão: valores cívicos. Como falar-se em nação sem nacionalidade? Que brincadeira é essa de tanto insistir-se em cidadania, se se tornou “leit motiv” de qualquer intelectualzinho zombar de noções de pátria, de história, de civismo, de valores nacionais?

Constranjo-me em escrever a respeito do “9 de Julho” pela certeza dos vazios profundos das mais novas gerações. E por um vazio ainda maior, pessoal, vazio de ausências, saudade de figuras como Jacob Diehl Neto, Júlio Diehl, Nair Barbosa, Mariinha Teixeira Mendes e tantos outros – que cantaram aquela epopéia, chorando os nossos mortos, seus companheiros de “front”. Até recentemente, eu pedia a bênção ao pajé dessa nossa tribo, Walter Accorsi. Mas ele se também foi.

Na Praça José Bonifácio – por onde milhares de pessoas passam – está o monumento aos heróis piracicabanos, aos mártires daquela saga. Em pedra e bronze, marcou-se o heroísmo de homens que deram a vida por seus ideais e valores cívicos. Nos versos de Francisco Lagreca e em Piracicaba, a lembrança perenizou-se tornando o “9 de Julho”, pelo menos, uma saudade. Se poucos sabem o que a data significa, deveríamos – pelos piracicabanos mortos que acreditaram em um Brasil sem ditadores – repetir, pelo menos agora, a oração de Lagreca no monumento ao Soldado Piracicabano de 1932:

“Este é o valor da terra estremecida,/é o poema, a glória piracicabana!/ Pela Pátria a lutar, vida por vida/ tombaram com bravura soberana./ Dor e martírio de uma raça forte,/ que é luz e ideal de um sentimento novo!/ Sobre estas pedras não existe a morte,/ porque não morre quem defende um povo”