terça-feira, 12 de novembro de 2013

Centenário, o XV de Piracicaba doou troféus para a campanha "Ouro para São Paulo"



   Quando estourou a Revolução Constitucionalista de 1932, o povo piracicabano também se levantou. Operários, mestres, liberais, todos enfim trocaram seus instrumentos de trabalho por arma e munições e partiram para o campo de batalha.
   Piracicaba, como todas as demais cidades do Estado, sentiu na carne os horrores da guerra entre irmãos. Como não poderia deixar de ser, também o setor esportivo foi paralisado, de julho a outubro daquele ano.
   Todos os clubes da cidade, desde o 28 de Setembro, ao São João, Independência, Palestra, Sucrerie e outros, passando pelo Luiz de Queiróz e pelo grande XV de Novembro, enviaram seus jogadores para as trincheiras, onde todos eles mostraram a sua perícia em campos diversos.
   O XV, além de ceder apreciável número de atletas e dirigentes, resolveu também aliar-se à grande luta, fornecendo, no dia 17 de setembro de 1932, entrega ao M.M.D.C. de todo o seu acervo esportivo, representado por taças de prata, de folhas, de medalhas, estatuetas etc., para a campanha "OURO PARA SÃO PAULO".
   Este pequeno resumo não poderia faltar na "História do XV", que o JORNAL DE PIRACICABA vem publicando às quintas-feiras e aos domingos, em suas páginas, como homenagem aos heróis de 32.

   Jornalista e historiador Rocha Netto, Jornal de Piracicaba, de 8 de julho de 1982, na edição número 31 da publicação O XV NO FUTEBOL PROFISSIONAL.

Nenhum comentário: