quinta-feira, 18 de julho de 2013

Mostra une expoentes piracicabanos no levante de 1932




Principal data cívica do calendário paulista, o 9 de julho, em 2013 vem sendo celebrado em meio a um momento especial da vida política do país. O que liga o momento atual com os 81 anos do levante contra o Estado Novo imposto por Getúlio Vargas é o desejo popular por uma sociedade mais justa, igualitária e fraterna. Se atualmente a rua foi tomada a partir de mobilização nas redes sociais, na década de 30 do século passado o rádio foi o responsável por mobilizar mentes e corações daquela época.
A Câmara de Vereadores de Piracicaba organiza um evento importante para que a sociedade reflita à luz dos acontecimentos de 1932.
No hall de exposição do prédio anexo da Câmara de Vereadores de Piracicaba (com entrada pela Rua do Rosário) ocorre uma exposição com materiais da época, com curadoria do historiador Fábio Bragança. A mostra conta com instalação de fotos dos ex-revolucionários piracicabanos, cartazes da Revolução de 1932, a participação da Legião Negra, livros com o tema, acervo "Quinzinho", com objetos do ex-revolucionário Joaquim Moreno, bandeiras e flâmulas usadas na Revolução, lista com os nomes dos revolucionários e vídeo sobre o levante.
“Havia insatisfeitos por todo o país (em 1932), mas só os paulistas declararam guerra ao Governo Federal. Até hoje há quem pense que o objetivo do levante era separar o Estado de São Paulo do resto do país. Mas os paulistas diziam que sua luta era pela democratização do país e uma nova constituição”, explica Bragança, sobre o levante que pedia o restabelecimento da Constituição, contra o governo considerado ditatorial de Getúlio Vargas, sediado no Palácio do Catete, no Rio de Janeiro.
“As manifestações dos últimos dias trouxeram cartazes como ‘O Gigante Acordou’, ‘Verás que o filho teu não foge à luta’. Tanto aqueles que saíram às ruas em 1932 e recentemente em 2013 tinham uma luta em comum: a busca de melhorias para o país. A luta dos paulistas em 1932 era pela democratização e uma nova constituição, a luta hoje é mais ampla, trata-se de uma série de descontentamentos”, avalia o historiador da Câmara de Vereadores de Piracicaba.
SERVIÇO - A exposição pode ser vista das 8 às 17 horas, no hall de exposição do prédio anexo da Câmara de Vereadores de Piracicaba, até o final do mês de julho.

Texto: Erich Vallim Vicente MTb 40.337
Fotos: Fabrice Desmont
















Nenhum comentário: