sexta-feira, 29 de junho de 2012

CONVITES DOS PRÓXIMOS EVENTOS EM COMEMORAÇÃO DO 80º ANIVERSÁRIO DO MOVIMENTO CONSTITUCIONALISTA EM SÃO PAULO


MEUS AMIGOS. MINHAS AMIGAS
PRESTIGIEM AS COMEMORAÇÕES DOS 80 ANOS DA REVOLUÇÃO
CONSTITUCIONALISTA.


Caros associados (as) e amigos (as),

Seguem convites dos próximos eventos, conto com a presença de todos.







Mario Fonseca Ventura
Coronel PM - Presidente
Sociedade Veteranos de 32 - MMDC
Rua Anita Garibaldi, 25
Centro - SP - CEP 01018-020
11 3105-8541



terça-feira, 26 de junho de 2012

NÚCLEO MMDC PARTICIPARÁ DOS 80 ANOS DA REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932


Núcleo MMDC participará dos 80 anos da Revolução de 32
   A Sociedade dos Veteranos de 32 em conjunto com o Núcleo Voluntários Paulistas de Piracicaba entregará 12 títulos à personalidades que auxiliam na preservação da memória do ideal paulista perpetuado a partir da Revolução Constitucionalista de 1932. A entrega ocorrerá durante solenidade comemorativa aos 80 anos da Revolução, agendada o dia 9 de julho na Praça José Bonifácio, em atividade coordenada pelo Comitê de Eventos Cívicos do Município em parceria com a Câmara de Vereadores.
   O Núcleo MMDC Voluntários de Piracicaba foi fundado em 22 de outubro do ano passado, numa iniciativa do tenente reformado da Polícia Militar, Egydio João Tisiani. A intenção é unir veteranos e familiares de todo o estado, a exemplo do que já ocorre em cidades que tiveram importante atuação na Revolução de 32, entre elas, Silveiras, Itapetininga, Buri, Cruzeiro, Porto Feliz e outras. Piracicaba enviou seu primeiro batalhão a São Paulo em agosto de 1932. Foram 600 voluntários que partiram da Praça José Bonifácio rumando à Estação de Trem Paulista tomando destino a São Paulo. Em seguida, maioria foi conduzida ao Vale do Paraíba, considerado o front da batalha por onde entraram as forças federais, formadas principalmente por agentes da Força Pública (hoje Polícia Militar) do Pernambuco e do Rio de Janeiro. Quatorze piracicabanos morreram nas batalhas.
   Os homenageados com os títulos contribuíram para que a epopéia não caísse no esquecimento. Assim, o Núcleo escolheu para receber o Diploma de Honra ao Mérito Capitão João Rodrigues Gonçalves, patrono do Núcleo MMDC Piracicaba :  Anna Thereza Prado de Almeida Carvalho, Cecílio Elias Netto, Eduardo Ferreira Grosso, João Francisco de Aguiar, Jefferson Biajone, João Manoel dos Santos, Judith Meira Barros Sampaio, Maria Antonieta Sachs Mendes, Maria Helena Toledo Silveira Melo, Mário Fonseca Ventura, Rosângela Rizzolo Camolesi e Willians de Cerqueira Leite Martins.

MUSEU PROMOVE VISITA MONITORADA À EXPOSIÇÃO "REVOLUCIONÁRIOS"! - COBERTURA COMPLETA


O Museu Histórico  e Pedagógico Prudente de Moraes recebe, na próxima semana, alunos da rede oficial de ensino para uma visita monitorada à mostra "Os Revolucionários", a qual permanece exposta até o dia 20 de julho. A visita se tornou possível por meio da parceria com o Núcleo MMDC de Piracicaba, através do seu presidente Egydio João Tisiani, e do 39º. Salão Internacional de Humor de Piracicaba, presidido por Edson Rontani Júnior. Ambos estarão presentes ministrando quatro palestras sobre a Revolução de 1932 e seus 80 anos, comemorados em 9 de julho próximo.
A intenção, segundo os membros do Núcleo MMDC, é fazer da visita uma forma de inteirar os alunos sobre a importância de Piracicaba no processo da Revolução de 1932.
A cidade, enviou dois batalhões de voluntários, com cerca de 900 pracinhas, muitos dos quais combateram nas cidades que formam o Vale do Paraíba, divisa de São Paulo com o Rio de Janeiro.
As apresentações ocorerão no Auditório do Museu H.P. Prudente de Moraes, em duas sessões: às 9h e às 14h das próximas terça e quarta-feiras. (26 e 27 de junho)
Esta ação é realizada em parceria à mostra "Os Revolucionários", resgatando a memória dos 80 anos da Revolução de 32. O Museu abriga, desde o dia 15 de junho uma sala com objetos do acervo do próprio Museu  utilizados no conflito armado, além de uma mostra paralela do Salão Internacional de Humor de Piracicaba cujo foco é a intolerância, alusivo ao prêmio especial deste ano, na sua 39ª Edição.

Atenciosamente,

Maria Antonieta Sachs Mendes
Diretora

Museu H. P. Prudente de Moraes
Rua Santo Antonio, 641 - Centro - Piracicaba/SP
(19)3422-3069 / (19)3432-2148
mprudentedemoraes@ig.com.br
www.museuprudentedemoraes.piracicaba.sp.gov.br



Foto: Chegada dos alunos da Escola Estadual Dr. João Sampaio para a primeira palestra do MMDC de Piracicaba sobre a Revolução de 1932 no auditório do Museu H.P. Prudente de Moraes no período da manhã do dia 26 de julho. A terceira na primeira coluna da esquerda para à direita a promotora deste evento e digníssima Diretora do Museu Maria Antonieta Sachs Mendes - a "Tô" Mendes. 

Foto: Alunos da Escola Estadual José Romão tradicional e conceituada da Vila Rezende reunidos para assistirem a  uma das palestra do MMDC de Piracicaba sobre a Revolução de 32 no auditório do Museu H.P. Prudente de Moraes realizada em 27 de junho.



Edson Rontani Jr., Vice-Presidente do Núcleo MMDC de Piracicaba numa das palestras ministrada no Museu Prudente. Foram realizadas ao todo 4 palestras: no dia 26 de junho às Escolas Estaduais João Sampaio e Edson Rontani (homenagem ao saudoso genitor de Edson Rontani Jr. que muito trabalhou em prol da educação na rede pública de ensino) e no dia 27 de junho às Escolas Estaduais Francisco Mariano da Costa e finalizando com a E.E. José Romão.


Acima, um dos muitos slides focando a Revolução de 32 que foram apresentados aos alunos das escolas da rede de ensino público no auditório do Museu. Na foto acima, o Símbolo maior do MMDC composto pelos primeiros heróis a morrerem pela causa Constitucionalista - Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo - inicias dos nomes que deram origem à sigla M.M.D.C. - saga histórica esta que foi exposta para conhecimento aos jovens pupilos presentes para conhecimento e conscientização objetivando a perpetuação do legado da Epopeia Paulista para às futuras gerações.

Conclusão: Visitas estas mediante ações realizadas com pleno êxito e excelente repercussão perante à opinião pública da sociedade piracicabana e esperamos continuar esta parceria para que esta seja a primeira de uma série da palestras e apresentações visando à divulgação dos feitos  heroicos dos valorosos combatentes constitucionalistas da Revolução de 1932 e, em especial, da decisiva participação dos nossos soldados Voluntários de Piracicaba que bravamente lutaram contra a voraz ditadura imposta por Getúlio Vargas e, entre eles, morreram em combate quatorze de seus filhos.
Recebemos, também, a visita de jornalista da Revista Veja e da TV Beira Rio que estão fazendo a cobertura deste evento supramencionado juntamente com entrevistas com os três últimos remanescentes vivos ex-combatentes piracicabanos em que estamos aguardando a publicação das edições que realizadas as apresentaremos em nosso blog para conhecimento.

Respeitosamente,
Núcleo MMDC de Piracicaba   





sexta-feira, 15 de junho de 2012

UMA HOMENAGEM A EDSON RONTANI JÚNIOR, VICE-PRESIDENTE DO NÚCLEO VOLUNTÁRIOS DE PIRACICABA


MEMÓRIAS DO VENTURA

O MUNICIPIO DE BURI FARÁ UMA CERIMÔNIA COMEMORATIVA DOS 80 ANOS DA REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932 NO PRÓXIMO DIA 16 DE JUNHO E HOMENAGEARÁ O HERÓI DE 32, O CADETE RUYTEMBERG ROCHA. PARTICIPE DESSE EVENTO.
QUINTA-FEIRA, 14 DE JUNHO DE 2012
UMA HOMENAGEM A EDSON RONTANI JÚNIOR, VICE-PRESIDENTE DO NÚCLEO VOLUNTÁRIOS DE PIRACICABA

Caríssimo Amigo, Comandante e Presidente Cel VENTURA
Venho através deste, mui respeitosamente, solicitar `V.Sª para que contatasse e desse as boas-vindas de incorporação à nossa Sociedade ao meu amicíssimo e Vice-Presidente do Núcleo de Correspondência Voluntários Paulistas de Piracicaba EDSON RONTANI JUNIOR pelas razões expostas abaixo:

1. EDSON é uma pessoa íntegra, competente e dedicada em todos os projetos de sua iniciativa ou de que faz parte;

2. É jornalista, radialista, responsável pela Comunicação Social da Uniodonto em toda a região, nascido em Piracicaba, muito conhecido e querido por toda a população local pela sua educação, simpatia e respeitado, sobretudo, pela sua excelente coluna publicada semanalmente no Jornal A Tribuna Piracicabana;

3. Natal Meira Barros, herói da Revolução de 32 morto em combate em Silveiras com apenas 17 anos de idade, é irmão da tia-avó de EDSON d. Judith Meira Barros Sampaio que, por sua vez, é esposa do Sr. Manoel Sampaio Mattos que bem representou a Sociedade aqui em Piracicaba durante um longo período;

4. Convidei-o, a algum tempo para colaborar comigo em solenidades alusivas à Revolução Constitucionalista em Piracicaba, e o mesmo imediatamente se dispôs em me auxiliar tomando iniciativa nesta organização e tem participado, apesar de seus outros e inesgotáveis compromissos, de maneira decisiva e atuante como publicações de suas matérias sobre a Epopeia de 32 em jornais de enorme circulação local, interação com o Museu Prudente de Moraes confeccionando cartaz com o logo da Sociedade dos Veteranos de 32-MMDC de grande proporção e elaborando Slogan - "Os Revolucionários" que ficarão bem visíveis na porta de entrada daquele durante a exposição dos objetos, cartazes e documentos da Revolução de 15 de junho a 20 de julho próximo, além da exposição, também, no famoso Salão de Humor de Piracicaba, do qual é presidente sob o tema "Intolerância" - crítica anti à ditadura de Getúlio Vargas contra o estabelecimento de uma Constituição

5. Foi convidado pelo presidente da Câmara Municipal local para participar no palanque, junto à outras autoridades constituídas, agora, nas solenidades de 9 de julho, representando e concedendo Diplomas do nosso Núcleo à 15 pessoas que convidamos e escolhemos com critério que vem prestando destacada contribuição à sociedade e colaborando conosco na divulgação dos feitos dos heróis combatentes de 32.

Em anexo, apresento-lhe as publicações de EDSON nos jornais, e os links sobre o seu Curriculum Vitae, também a biografia de seu saudoso genitor, Edson Rontani, extraída da wikipedia, que foi e ainda é muito lembrado e amado por toda a população.

Apesar de todos estes seus atributos EDSON é muito humilde e preocupado se aquilo que vem fazendo em prol da memória da guerra cívica paulista vem agradando aos irmãos da Sociedade, principalmente aos membros de seu comando.

Com a devida vênia, emérito presidente Sr. Cel VENTURA, creio que ele já faz jus a elogio e uma terna saudação da sua parte para que adquira maior confiança e se motive ainda mais no nosso labor.

Receba meu efusivo e sempre respeitoso abraço.
Egydio João Tisiani

1 comentários:

ESTIMADO EDSON RONTANI JÚNIOR
Nossos cumprimentos pelo trabalho que você vem executando em PIRACICABA. Não só com relação ao nosso festejado núcleo "VOLUNTÁRIOS DE PIRACICABA", mas também com relação à própria cidade. Gostaria muito de poder ir até PIRACICABA, NUMA SOLENIDADE programada por vocês sobre os 80 Anos da Revolução Constitucionalista. Converse com o EGYDIO sobre isso. Precisamos aproveitar o JUBILEU DE CARVALHO da EPOPÉIA DE 32.





sábado, 9 de junho de 2012

OS REVOLUCIONÁRIOS: CONVITE DA EXPOSIÇÃO




ABAIXO SLOGAN DE APRESENTAÇÃO SOBRE A EXPOSIÇÃO DE OBJETOS E 

DESENHOS DOS ACERVOS DO MUSEU H. P. PRUDENTE DE MORAES AOS 80 ANOS DA 

REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA:










sexta-feira, 8 de junho de 2012


Tribuna relembra Revolução de 1932

A Tribuna Piracicabana publica, a partir desta edição, fotos que relembram a Revolução Constitucionalista de 1932, movimento civil que mobilizou a sociedade paulista contra a ditadura instalada pelo governo do presidente Getúlio Vagas. A intenção é lembrar os 80 anos da Revolução, cuja data máxima é comemorada em 9 de julho, feriado estadual. Será feita a publicação semanal de uma foto e um comentário destacando o papel dos “Voluntários de Piracicaba” neste levante. As fotos poderão ser visualizadas na coluna “A Foto e a História”, assinada pelo jornalista Edson Rontani Júnior, cuja publicação ocorre aos sábados. De hoje até 7 de julho, um fato marcante destacando a presença de piracicabanos será detalhado. A iniciativa surgiu após contato com o Núcleo de Correspondência Sociedade Veteranos de 1932 de Piracicaba, presidido pelo Egydio João Tisiani.


Na foto : Edson Rontani Júnior, autor da coluna, e Egydio João Tisiani, presidente do Núcleo M.M.D.C. de Piracicaba

Vide imagem abaixo publicada no jornal A TRIBUNA PIRACICABANA edição nº 9.904, página 03, de 09 de junho de 2012.


terça-feira, 5 de junho de 2012

DO BRILHANTE JURISTA E ARTICULADOR POLÍTICO DA REVOLUÇÃO DE 32 O PIRACICABANO FRANCISCO MORATO

Francisco Morato


Um dos mais brilhantes e íntegros homens públicos brasileiros, o piracicabano de vanguarda


Nome do Palácio da Justiça, o Fórum de São Paulo, Francisco Morato, reconhecido por seus ideais políticos e por sua postura ética como jurista, nasceu em Piracicaba, em 1868, filho de Antônio Morato de Carvalho e Ambrosina Justiniana d´Almeida Lara. Seu nome completo: Francisco Antônio de Almeida Morato. Casou-se com Maria da Rocha Conceição, filha caçula do Barão de Serra Negra, com quem teve uma filha, Cinira, que se tornou, casada, Cinira Conceição Morato Leme.

Mas, antes de integrar os círculos de poder da metrópole, onde se fixou depois dos 40 anos, foi em Vila Constituição que exerceu a advocacia e os cargos de inspetor escolar, promotor público e vereador por 9 anos.

A fama e o reconhecimento vieram já em terras piracicabanas, quando atuou como advogado e, junto ao cunhado, Barão de Rezende, e Paulo de Moraes Barros, transformou-se em vereador e político respeitado. Uma de suas causas de grande repercussão foi aquela em que defendeu e conseguiu a absolvição do acusado pelo assassinato do pintor Almeida Junior, ocorrido em 1899.

Do tempo em que viveu em Piracicaba, deixou lembranças do aristocrata que se vestia com esmero, colarinhos engomados, sapatos bem polidos, a bengala de cabo de prata. Ficaram famosas as festas que, na chácara próxima à Rua do Porto, comemoravam datas como a de São Pedro, quando os amigos vinham de longe para se reunir com as famílias. 1

(Foto: A Chácara do Morato, onde viveu o jurista, tal como se encontra em 2006, ainda preservada, residência de seu bisneto, Renato Leme Ferrari.)

Em 1916, já morando na capital, foi um dos fundadores do Instituto dos Advogados de São Paulo e, a partir de 1917, atuou como professor da Faculdade de Direito do Largo São Francisco, chegando a ser seu diretor interino, quando recebeu o título de professor emérito, concedido pela primeira vez pela instituição.

Mas foi na política que Francisco Morato teve atitudes que marcaram a história. Entre os fundadores do Partido Democrático, foi um dos três deputados eleitos por São Paulo em 1927. E, como parlamentar, não teve receios em denunciar os procedimentos políticos do governo Washington Luiz, por ele classificados como fraudulentos.

Em 1930, já como presidente do partido, e diante da queda de Washington Luiz, a expectativa era de que a ele coubesse o governo de São Paulo. Mas Getúlio Vargas ofereceu-lhe a pasta da Justiça, como compensação à nomeação do interventor João Alberto. Célebre ficou a manifestação por ele enviada a João Alberto: " Sr. tenente, eu não estou aqui mendigando emprego. Tenho uma banca de advocacia que é uma das mais rendosas da República. Estou aqui, reivindicando para São Paulo, o direito de governar a si próprio,salientando que, não fora a ação do Partido de que sou chefe, não haveria revolução, ou esta estaria derrotada e o senhor continuaria um simples tenente no exército".

Formada a Frente Única Paulista, com o Partido Democrático já rompido com o governo federal, Morato respondeu por articulações nacionais buscando apoio para a reivindicação dos paulistas de autonomia, então sob a tutela do interventor Pedro de Toledo. E, para fazer valer os ideais liberais do PD, como a defesa da representação popular, através do voto secreto, sempre priorizou a conciliação. Quando, em 1932, irrompeu a Revolução Constitucionalista, ele se rendeu ao movimento e lutou bravamente por São Paulo e pelos princípios democráticos pelos quais sempre propugnou.

Mas veio a derrota, depois de três meses de combates e mais de 800 mortes. Morato foi preso e enviado ao exílio, permanecendo entre Lisboa e Paris. Entre os mais de 80 exilados, Morato teve como companheiros o Gal. Bertholdo Klinger, Júlio de Mesquita Filho e Francisco Mesquita, entre outros. Retornou ao Brasil somente em julho de 1933.

Com mais de 66 anos, recomeçou sua vida pública, chamado pelo governador Armando de Salles Oliveira, seu amigo pessoal, a atuar como delegado e árbitro paulista na questão das fronteiras entre São Paulo e Minas. Já aos 79 anos, foi nomeado Secretário Estadual da Justiça, pelo interventor José Carlos de Macedo Soares, permanecendo no cargo por menos de um ano. Mas continuou a ministrar aulas, a oferecer pareceres jurídicos a seus principais clientes.2

Morreu em 1948, sendo enterrado em Piracicaba.
Notas

1 Depoimento dado pela neta Maria Aparecida Leme de Souza, in "A época de Francisco Morato", de Luiz Roberto de Almeida, São Paulo, 1994.

2 Dados biográficos mencionados no Dicionário Histórico-Geográfico da Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 2001.

Fonte: Memorial de Piracicaba 2002/02, de Cecílio Elias Netto
Autoria: Beatriz Elias