quinta-feira, 11 de outubro de 2012

CORONEL FERNANDO FEBELIANO DA COSTA: URBANISTA E INSTALADOR DO ENSINO INDUSTRIAL EM PIRACICABA



Coronel Fernando Febeliano da Costa

Nasceu no dia 16 de outubro de 1862, na cidade de Sorocaba.
Desde as primeiras letras estudou com professores particulares.
Trabalhava com seu pai, mas não satisfeito com o trabalho, montou por sua conta um moinho de fubá e milho. Com 22 anos de idade, começou a comprar café e, com a valorização do mesmo, fez grande capital e assim comprou a fazenda Boa Esperança, no bairro Pau D′Alho.

Em 1887 resolveu fazer uma viajem para Portugal, Espanha, França e Alemanha.
Nesta temporada na Alemanha, despertou a idéia do curso industrial para orientação prática de indústria e com a possibilidade de um curso superior logo após o curso industrial.

Em 1903 entrou como procurador da Câmara e depois eleito vereador, foi para Prefeito, ali permanecendo de 1917 a 1925, com a interrupção de 2 anos, onde ficou na fazenda Florets de sua propriedade, cuidando apenas de seus interesses.

Faleceu em São Paulo no dia 10 de maio de 1940, sendo seu corpo transportado para a cidade de Piracicaba, onde está sepultado.
A Prefeitura quis enterrá-lo com as honras de Prefeito, mas a família não aceitou.

A Escola Industrial ao ser instalada foi a concretização de um antigo sonho do “Coronel Fernando Febeliano da Costa”. Homem inteligente, idealista e arrogado por três vezes prefeito de Piracicaba, a cerca de mais de 18 anos, desde 1905 a 1925, parando em pequenos intervalos para atender aos seus interesses particulares.
A idéia de instalação de uma Escola Industrial surgiu quando Fernando Febeliano da Costa, ainda jovem, em uma viajem a Europa, visitava demoradamente a Alemanha, país em que um de seus irmãos estudava Engenharia. Lá, ele teve a oportunidade de conhecer as maravilhosas escolas industriais da época. Foi nessa ocasião que despertou o espírito prático de Fernando Febeliano da Costa e surgiu a hipótese da instalação de uma Escola Industrial no Brasil, vislumbrando aí também a hipótese de trazer para a nossa terra um curso superior, que seria a complementação do curso, industrial médio.
Estávamos no fim da década de 1880, o Brasil era jovem e estava em grande fase de desenvolvimento. Precisava de um ensino profissionalizante. Os jovens precisavam de uma profissão, e de profissão que lhes valesse alguma coisa.
Voltando de sua viajem, cheio de esperanças, Fernando Febeliano da Costa, lutou para implantar no Brasil, mais precisamente em Piracicaba, o ensino industrial.
Depois de muita luta conseguiu fundar uma Escola Industrial, com a finalidade propícia, na ocasião, de formar o operário qualificado para a indústria carente de mão de obra especializadas. Porém eram muitas as dificuldades e os anos foram se passando. Só no dia 4 de maio de 1951, onze anos após a sua morte, foi instalada a Escola Industrial em Piracicaba levando o seu nome como um agradecimento do povo piracicabano.

Quanto a sua administração pública, para algumas pessoas, Coronel Fernando Febeliano da Costa é um nome para ser lembrado na memória: foi um dos maiores prefeitos de Piracicaba. Suas atuações políticas vão desde continuações de obras iniciadas por outros políticos até a urbanização de regiões pouco habitadas da cidade.

Coronel Fernando Febeliano da Costa foi cinco vezes eleito prefeito de Piracicaba, sendo as primeiras vezes de 1905 até 1913 e, depois, de 1917 a 1923. No início de sua candidatura, a cidade era extremamente precária, existia um alto índice de doenças, causadas por falta de saneamento e excesso de sujeira. Dr. Paulo de Moraes, ao ver essa situação, inicia a construção de canais e esgotos, a fim de dar uma melhor condição sanitária para a população local. Essa obra foi apenas terminada por Febeliano. Além disso, Fernando Febeliano da Costa mandava limpar calçadas, para que a cidade se mostrasse sempre limpa e receptora dos visitantes.

Entre os anos de 1905 e 1910 houve uma grande demanda de carros para a cidade, o que gerou um problema com o trânsito local (vale lembrar que a cidade possuía a área compreendida, hoje em dia, entre a Avenida Armando Salles e o Rio Piracicaba). Febeliano, então, cria exames de motorista e as habilitações para se guiar em Piracicaba, acabando com os problemas de indisciplina no trânsito da cidade.

Coronel Fernando Febeliano da Costa também foi um grande responsável pela urbanização da cidade. Fora dos limites da cidade encontrava-se o “encosto” (atual Paulista), e o “Largo da Forca” (atual Largo da Santa Cruz). Com a expansão urbana, a cidade começa a invadir esses espaços. Para que não houvesse uma desordem nesse crescimento, Fernando Febeliano da Costa compra uma propriedade chamada chácara Dapport, faz um loteamento e reserva essa área para a cultura. Em volta desse local, começa a surgir o bairro Cidade Alta. O “encosto” também se urbaniza e cria-se a Paulista. Ao subir a Rua Moraes Barros, cria-se também “encosto”, um caminho que levava à ESALQ.
Uma das obras de maior importância de Febeliano foi o Matadouro, construído na região do Algodoal. O Matadouro, além de urbanizar a região, tinha a função de processar as carnes, prática antes realizada na frente das casas. Com isso, preveniram-se muitas doenças, além de fazer movimentar a economia local, pois o Matadouro era visitado por pessoas de todo o estado.

Fernando Febeliano, no seu contínuo esforço pelo embelezamento da cidade, fez magníficos jardins, dentre os quais se destacavam: o do Grupo Escolar Moraes Barros, o do Largo da Ponte-nova e o da Praça do Gavião (atual Praça Almeida Júnior, que abriga a Pinacoteca), entre as ruas São José e Morais Barros (antiga Rua Direita), cuja beleza era suprema em relação às outras.

Vale a pena registrar que o Coronel Febeliano também foi um idealista ligado à causa constitucionalista atuante sendo uma das figuras de maior destaque no incentivo de aglutinar os Voluntários Piracicabanos para lutarem em prol dos paulistas contra a ditadura de Getúlio Vargas na Revolução de 1932.

Excluindo todas essas obras de suma importância, algumas de menor interesse, porém que ajudaram em muito o desenvolvimento municipal na época, foram feitas como o calçamento da Avenida Independência, a construção da ponte que faz divisa coma Vila Resende e do prédio antigo da cadeia. Também em seu mandato, a câmara mantinha algumas ordens públicas, como três escolas, um fiscal de limpeza pública, a manutenção de mais de 200 km de estrada, que sempre se encontrou em estado irrepreensível, e, ainda, ajudava a Santa Casa de Misericórdia. Sem citar as melhorias na iniciativa privada, que redundaram em benefício público. Tudo isso tributando moderadamente a população.

Como é possível observar, Coronel Fernando Febeliano da Costa foi um excelente administrador municipal, que conseguiu urbanizar a cidade sem exageros tributários e de modo que esta se expandisse ordenadamente. Além disso, contribuiu muito para a economia local, com a construção do Matadouro e o embelezamento da cidade.

Nenhum comentário: