quinta-feira, 13 de setembro de 2012

DOS VOLUNTÁRIOS COMBATENTES PIRACICABANOS DR. WALTER ACCORSI e JOÃO GENNES DA SILVEIRA MELLO


Walter Accorsi (1912-2006)


"Devo a esta cidade e a esta Escola o que sou. Devo e falo isso em toda parte"

Walter Radamés Accorsi, nasceu em Taquaritinga, no dia 9 de outubro de 1912. Passou a infância em uma enorme casa, onde vivia com os pais, irmãos e os tios com respectivas famílias. Accorsi freqüentou o grupo escolar e à tarde ia para a escola Dante Alighieri para aprender italiano. Bom aluno, sempre gostou de estudar e ganhou inúmeros prêmios.
Em 1919, mudou-se para Dobrada, na época distrito, localizado a oito quilômetros de Matão – a emancipação só veio em 1945 – onde a família adquiriu uma serraria, uma máquina de beneficiar café e um curtume. Foram também proprietários da fazenda Riachuelo e do sítio Ricovero.
Accorsi terminou o primário na Escola Reunidas, de Dobrada, e ao chegar a sétima série do ensino fundamental (segunda série do antigo Ginasial) foi matriculado no Colégio Mackenzie, de São Paulo, onde diplomou-se em 1927. Após conseguir o diploma, o pai lhe perguntou. “Você quer estudar agronomia?”, sem hesitar respondeu que sim.
No ano seguinte, em 1928, Accorsi chegou a Piracicaba, mais precisamente ao dia 5 de fevereiro. “Uma quinta-feira” como ele gostava de lembrar. Matriculou-se três dias depois no Atheneu Piracicabano, em um curso preparatório para o vestibular da Escola Agrícola, que posteriormente recebeu o nome de Esalq.
Em Piracicaba sua primeira residência foi a pensão Pernet, no Centro. Três dias depois conheceu sua primeira e única paixão: Judith Moretti, com quem viria a casar-se em 1935. Com a esposa, ficou por 61 anos. Separaram-se com a morte dela, em 21 de setembro de 1996, aos 87 anos. Tiveram duas filhas: Walterly e Waldith.
Em 1930, entrou na Escola Agrícola, onde formou-se em 1933 com um honradíssimo terceiro lugar na turma. Foi lá que começou o seu grande amor pelas plantas. Antes da formatura, porém, foi um dos “pracinhas” da Revolução Constitucionalista, onde defendeu as cores da bandeira de São Paulo. 



ESALQ durante a Revolução de 1932

Em 1934, tornou-se assistente da terceira cadeira de Botânica Geral e Descritiva.
Em 1936 passou no concurso de livre docência. Foi aí então decolou a carreira acadêmica do professor, que ganhou notoriedade nacional e internacionalmente com sua paixão pelas plantas.
Em 1982, após quase setenta anos de docência aposentou-se e recebeu o título de professor emérito, um dos mais honoríficos da USP (Universidade de São Paulo). Na Esalq, apenas seis professores receberam essa titulação. Em meados da década de 80, ganhou aquela que foi uma de suas maiores glórias: o setor de plantas medicinais da escola. Lá, ia religiosamente todo dia.
Em 1986, recebeu o título de Cidadão Piracicabano, outorgado pela Câmara de Vereadores. Em 1990, inaugurou o Laboratório Accorsi, sua farmácia de produtos fitoterápicos. Esteve a frente dos negócios até sua desencarnação. Nessa década, perdeu a esposa. Segundo a família o baque foi grande, mas o equilíbrio espiritual e a vasta compreensão da morte não o deixou desequilibrar. Viveu os últimos anos sempre rodeado pela família e pelos amigos. Continuou a frente da União Espírita, fazia visitas diárias à Esalq, onde continuava as suas pesquisas em fitoterapia.

A derradeira homenagem recebida em vida, pela ESALQ, ocorreu no último dia 12 de janeiro, durante a sessão solene de Colação de Grau e Formatura das classes graduadas em 2005, quando foi o Paraninfo das cinco turmas de formandos.
 O professor Emérito Walter Radamés Accorsi faleceu no dia 5 de abril de 2006. O corpo foi velado no Salão Nobre do Edifício Central da ESALQ.


JOÃO GENNES DA SILVEIRA MELLO

João Gennes da Sillveira Mello é irmão do herói piracicabano Ennes da Silveira Mello, filho de José da Silveira Mello e Malvina Sampaio da Silveira Mello, nascido em Piracicaba em 17 de Julho de 1903 e falecido na cidade de Petrolina, Pernambuco em 1988. Combatente atuante na Revolução de 32 depois como membro da Juventude Comunista foi para Corumbá - Mato Grosso onde exerceu a profissão por quase 10 anos como gerente da companhia de água e saneamento cujo proprietário Dr. Jorge Oliver era seu cunhado e a companhia se chamava Barros Oliva depois a companhia Barros&Oliva se transformou na companhia de cimento Portland - Itau a qual passou a ser seu diretor-superintendente indo para a região nordeste abrir a mineração de gesso (matéria-prima para o cimento).
Durante os anos 50 o grupo abriu o Banco Itau.

Na década de 70 o Grupo Votorantin adquiriu o controle acionário do Grupo Itau Divisão de Fábricas de Cimento. Em seguida vendeu a sua parte assim como as ações da Mineradora do Grupo Itau Cimento. (Erro grande deveria ter ficado como acionista, segundo relata seu filho).

Foi, ainda, comandante do trem de víveres na Ferrovia para o Paraná e na Sorocabana.

No final dos anos 70 seu filho João Silveira Mello imigrou para a Europa para estudar e em 1987 tinha 27 anos quando se estabeleceu nos EUA onde mora há 25 anos, atualmente, Presidente da CEO da American Arms Corporation  importador e exportador de armas e material tático e esportivo. É descendente de família paulista de quatrocentos anos das ramificações da família Silveira Mello:

Barros
Almeida Prado
Didini
Sampaio

  
João Silveira Mello EUA
Phone: 954 636 .... (Miami)

Um comentário:

Unknown disse...

João Silveira Mello, este eu conheço e pelo tempo de amizade que nos une Seu Pai Sr.João deve estar orgulhoso de seu filho,pois carrega o carater, a educação e a inteligencia herdada.

Wanderley Sucigan.´.