segunda-feira, 28 de maio de 2012

JOAQUIM NORBERTO DE TOLEDO JUNIOR: SOLDADO VOLUNTÁRIO DA REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932 - Parte 1


JOAQUIM NORBERTO DE TOLEDO JUNIOR

Quincas ou Quinzinho, como era mais conhecido, nasceu em São Pedro, estado de São Paulo,em 19 de setembro de 1906, filho do professor e Coronel Joaquim Norberto de Toledo e da professora Ambrosina Bonilha de Toledo. Eram seus irmãos Luiz e Geraldo, que também lutaram na revolução, Gertrudes, Marieta, Luiza, Maria Cândida, Ana Maria, Maria Augusta e Maria José. Foi funcionário público estadual, no Corpo de Segurança do Estado dos Negócios da Segurança Pública de São Paulo, classificado no Gabinete de Investigações. Alistou-se como voluntário em 16 de julho de 1932, em Piracicaba, no 1º Batalhão Piracicabano, sob o nº 1.079 do 4º B.C.R. e 2ª Cia. do 6º R.I .


Ficou conhecido entre os colegas da Revolução como “Quincas Gaiteiro”, porque gostava de tocar gaita.

Quincas e seu irmão Luiz, julho de 1932
Em 23 de julho seguiu para a frente Norte (Vale do Paraíba) onde já operava a 2º Divisão de Infantaria (2ª. D.I.O), sob o comando do General Euclides de Figueiredo. Esteve nos setores de Queluz e Cruzeiro e depois acompanhou o mesmo batalhão para São José dos Barreiros e foi incorporado ao Destacamento do Coronel José Joaquim de Andrade. Participou de vários combates principalmente em Areias, Silveiras e Fazenda Palmeira.

Em Silveiras, o grupo de Quincas foi incorporado definitivamente ao 6º R.I. e era composto pelos piracicabanos Sargento Semionato, Cabo Lauro Catulé e os soldados Joaquim Norberto de Toledo Junior, Antonio Balestro, Barrento, Fernão, Eduir, Josaphat, Ruy, Tacito , Paulo e Henrique Gritti . Faziam parte também do grupo o fuzileiro Boanerges e o municiador 1.109 do 6º R.I.

Em 28 de agosto foi transferido para o 6º Regimento de Infantaria (6º R.I.) com o qual seguiu para Guaratinguetá. Depois foi para Caçapava, Campos do Jordão e São Luiz de Paraitinga, onde o alcançou o armistício de 1º de outubro, recolhendo-se então ao quartel de seu regimento.


O texto a seguir, redigido pelo próprio ex-combatente, relata sua participação nos combates:

Documento anverso e continuação no reverso escrito de punho nas trincheiras

Documento do texto acima por Joaquim Norberto de Toledo Junior datilografado


Quincas, em pé e à esquerda, em Campos de Jordão, em setembro de 1932

Quincas, à direita e um amigo

Seus parentes que também lutaram na Revolução foram: seus irmãos Luiz Bonilha de Toledo e Geraldo Pinto de Toledo, sua irmã Gertrudes de Toledo, sua sobrinha Ondina Mendes Parreira e Henrique Gritti, marido de sua sobrinha Duta.NOTA 1

Após o término da Revolução retornou para São Paulo retomando a seu antigo posto no Gabinete de Investigações.

Casou-se em 1945 com Ana da Silva de Toledo, nascida em Guaíra estado de São Paulo, com quem teve cinco filhos: Luiz Augusto Silva de Toledo, José Joaquim Silva de Toledo, Maria Helena de Toledo, Maria Aparecida de Toledo e Joaquim Norberto de Toledo Neto.

Em 1963 aposentou-se e retornou à sua cidade, São Pedro, onde desenvolveu diversas atividades sociais e culturais. Entre elas, idealizou e fundou, juntamente com outros, a Guarda Mirim de São Pedro.

Faleceu em 14 de maio de 1968 em consequência de um ataque cardíaco. Foi sepultado no cemitério de São Pedro e em seu túmulo constam os dizeres, a seu próprio pedido: “Nasci em São Paulo, vivi por São Paulo e morri em São Paulo”.


Redigido por Maria Helena Toledo Silveira Melo com a colaboração de seu marido Dr. Luiz Antonio da Silveira Melo.

Continua na Parte 2


3 comentários:

Leticia Toledo - English Teacher disse...

Sou neta do Sr. Geraldo Pinto de Toledo e é um orgulho para minha família ter tido homens tão valorosos lutando pelo nosso Estado.

NÚCLEO DE CORRESPONDÊNCIA CAPITÃO NECO disse...

Parabéns Leticia pela ilustre família de que faz parte. Egydio

NÚCLEO DE CORRESPONDÊNCIA CAPITÃO NECO disse...

Na foto de baixo o amigo de Quinzinho era o meu pai Sebastião de Azevedo de Aguiar, tambem saopedrense da gema e igualmente patriota até o fundo da alma ou so coração. Tenho certeza porque tenho a mesma foto bem guardada pelo meu pai.Tenho certeza da amizade de ambos porque a única carta de punho atestando que meu pai também entrou em combate foi justamente guardada e cedida pela amiga Maria Helena de Toledo, amiga de coração e de armas na Sociedade de Veteranos de 1932.
Joao Francisco de Aguiar ( Presidente do Núcleo do MMDC em São Pedro)