sábado, 5 de novembro de 2011

Quinze coisas que você não sabia sobre a Revolução de 1932

Quinze coisas que você não sabia sobre a Revolução de 1932



SÃO PAULO - Neste sábado, a Revolução de 32 completou 79 anos. Veja 15 coisas que você não sabia sobre esse movimento constitucionalista.

1 - As duas principais avenidas que ligam a cidade São Paulo de norte a sul - Nove de Julho e 23 de Maio, têm seus nomes vinculados a datas do movimento constitucionalista. No dia 23 de maio, foram mortos os jovens Martins, Miragaia, Drausio e Camargo (cujos sobrenomes formam a sigla MMDC).

2- O primeiro jogo de handebol oficial no país foi realizado no Clube Germânia - atual Clube Pinheiros. A partida foi organizada pela colônia alemã, com objetivo de recolher fundos para as vítimas dos combates, em agosto de 1932.

3- As transmissões mais importantes das rádios paulistas - Recorde e Cruzeiro do Sul - em 1932 foram feitas entre 2h e 4h da madrugada. Neste horário, as ondas alcançavam maior distância e permitiam que os adeptos do Movimento Constitucionalista em outros estados pudessem ouvi-las.

4- Todos os atletas paulistas que participaram das Olimpíadas de Los Angeles, em 1932, se alistaram para lutar na Força Constitucionalista ao retornarem ao Brasil. A exceção foi a jovem nadadora Maria Lenke, que tinha apenas 17 anos de idade. Ela foi a primeira mulher sul-americana a disputar uma Olimpíada.

5- A atual bandeira paulista foi usada pela primeira vez como símbolo do estado de São Paulo em 25 de janeiro de 1932, durante a primeira grande manifestação de rua paulista contra a ditadura de Getúlio Vargas. A bandeira havia sido criada para ser símbolo do país após a Proclamação da República, em 1989, mas acabou preterida. Ela começou a ser hasteada na área bancária do centro de São Paulo e também servia para identificar as sacas de café produzido no estado. A bandeira não tinha, porém, a mesma configuração. Como era feita em casa, o número de listras variava. São treze listras variando entre branco e preto. Durante o Estado Novo, Vargas proibiu o uso de símbolos pelos estados e a bandeira paulista chegou a ser queimada.

6 - Criada para arrecadar dinheiro para compra de armas nos Estados Unidos, a campanha "Ouro para o Bem de São Paulo" foi um sucesso. A aquisição de armas, porém, não foi viabilizada. Para usar o dinheiro e impedir que ele fosse confiscado pelo governo Vargas, ele foi doado para término da construção da Santa Casa. Mesmo assim, sobrou dinheiro. Ele foi usado para construir o prédio "Ouro para o Bem de São Paulo, Largo da Misericórdia. Sua fachada tem a forma da bandeira paulista, em alto e baixo relevo. A intenção era que o prédio, alugado, ajudasse a prover recursos para a Santa Casa.

7 - O mais jovem soldado morto em combate na Revolução de 32 tinha apenas 9 anos e meio de idade: o escoteiro Aldo Chioratto, foi morto durante bombardeio aéreo em Campinas.

8 - Santos Dumont estava na Praia das Pitangueiras, em Santos, quando viu um ataque de um avião paulista a um navio da Marinha que estava bloqueando o acesso ao Porto de Santos. O avião explodiu no ar e mergulhou em frente à praia. Santos Dumont, que já vivia um período depressivo, retornou à pensão, tirou a gravata e se enforcou.

9 - Todas as colônias estrangeiras estabelecidas em São Paulo colaboraram com o Movimento Constitucionalista, inclusive a japonesa. Soldados nisseis engrossaram as tropas paulistas. Entre as doações estavam um saco de arroz e um de banana doados por agricultores japoneses do oeste paulista.

10 - A viúva de Rui Barbosa, Maria Augusta Viana Bandeira, que morava no Rio de Janeiro, encaminhou a aliança de casamento para a campanha "Ouro para o bem de São Paulo". Ao ser criticada, ela afirmou que se o marido estivesse vivo, concordaria.

11- A marchinha "O teu cabelo não nega", de Lamartine Babo, foi o grande sucesso do carnaval de 1932. Nela, o compositor ironiza a nomeação de interventores: "Mulata, mulatinha, meu amor. Fui nomeado teu tenente interventor".

12 - As tropas combatentes das frentes paulista e mineira pararam para cantar juntas a música "A voz do violão", sucesso na voz de Francisco Alves. Um soldado paulista, único a ter um violão, iniciou alguns acordes. Do outro lado do 'front', outro soldado gritou: "Ô paulista, toca aquela do violão". E as duas tropas rivais soltaram a voz - afinal, eram todos brasileiros.

13 - Embora a revolução tenha acontecido em São Paulo, havia aliados por todo o país, entre eles Rio de Janeiro, Pará, Amazonas, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. A cidade gaúcha de Soledade declarou publicamente seu apoio às tropas paulistas.

14 - Embora muitos quisessem olhar o Movimento Constitucionalista como uma disputa Rio-São Paulo, havia apoio às tropas paulistas no Rio de Janeiro e eram constantes as transmissões das rádios paulistas no estado. Havia constantes boatos de que haveria sublevação no Rio, levando a polícia política de Vargas tentar localizar os transmissores locais.

15 - A primeira mulher a se eleger deputada federal foi a médica paulista Carlota Pereira de Queirós, que liderou a União Cívica Feminina durante a revolução. Até então, mulher sequer votava. A mobilização das mulheres na Revolução de 1932 deu força ao movimento a favor do voto feminino. Carlota foi eleita em 1934.

As informações desta lista foram passadas por um estudioso no assunto, o coronel da Polícia Militar Luiz Eduardo Pesce de Arruda, de 51 anos. Ele se encantou com o tema no primeiro ano da academia. Hoje, é Comandante do Policiamento Metropolitano da Polícia Militar em São Paulo. Arruda escreveu até mesmo um musical, chamado "1932 - Os sons da guerra".

Fonte: O Globo



Nenhum comentário: